Banco de Talentos Senai

Olá Visitante

Profissionais

Anuncie seu CurrículoEncontre uma Vaga

Empregadores

Anuncie suas VagasEncontre um Profissional
INÍCIO PROFISSIONAIS EMPRESAS CONTATO

Reportagem Folha de Londrina 11/04/2011, Banco de Talentos e Empregabilidade do SENAI Londrina.

Conexões para o sucesso

Instituições de ensino criam ferramentas de recrutamento e seleção que agilizam o processo de contratação de estudantes

Alexandro Jorge:''Você consegue ver as oportunidades sem ter o trabalho de ir a uma agência de recrutamento''

Thalyta Rodrigues: ''Estou muito feliz, não imaginava que conseguiria um emprego tão fácil'' Ingressar em uma boa empresa sem a exigência de experiência profissional e com possibilidade de aprendizado e desenvolvimento pode estar mais perto do que muitos estudantes e recém-formados imaginam. Os bancos de currículos têm sido a opção rápida e ideal para as empresas que estão em busca de profissionais qualificados. Em Londrina, duas instituições criaram esse tipo de serviço para que os estudantes saiam da graduação ou do ensino técnico profissionalizante incorporados ao mercado de trabalho.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) é uma delas. A instituição lança amanhã, durante a 7 Feira de Eletromecânica e Construção Civil, seu Banco de Talentos - portal de recrutamento e seleção que estará à disposição de alunos, ex-alunos, empresários e comunidade em geral no endereço www.senailondrina.com.br/bancodetalentos. ''Alunos e ex-alunos do Senai poderão cadastrar seu currículo que ficará disponível no portal por tempo indeterminado'', informa Rosmar Luz, coordenador do Banco de Talentos.

Ele acrescenta que até agora os empresários faziam contato com o Senai e as informações eram obtidas através dos coordenadores de curso. ''Na maioria das vezes o processo demorava, não tínhamos um banco de dados para agilizar essas contratações. Com a implantação desse sistema a própria empresa poderá fazer a triagem e acelerar o processo de contratação'', explica Luz.

Empresas cadastradas no Senai poderão demonstrar as vagas disponíveis num espaço específico. ''Dessa forma passaremos a ter um melhor entendimento de que tipo de mão de obra as empresas realmente precisam. A partir daí direcionaremos os treinamentos para as áreas que estão mais carentes no mercado profissional e estancaremos a falta de profissionais qualificados '', complementa Luz. O serviço será disponibilizado gratuitamente.

Na Unopar a ideia de fazer uma ponte entre os estudantes que querem trabalhar e as empresas que procuram candidatos surgiu em 2009 em um projeto de extensão. A instituição criou o Banco de Oportunidades - ferramenta do Escritório de Negócios do curso de Administração de Empresas - que tem atualmente 400 alunos e egressos cadastrados dos oito cursos do Centro: Administração, Ciências Contábeis, Direito, Publicidade e Propaganda, Turismo e Hotelaria, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Estratégica de Vendas e Logística.

''Os alunos nos procuravam e pediam para que os indicássemos para as empresas. Em contrapartida as empresas buscavam informações de candidatos para preencherem as diversas vagas que tinham disponíveis'', conta a professora Márcia Cristina dos Reis, responsável pelo gerenciamento do projeto Banco de Oportunidades.''Hoje fazemos essa ponte onde todos saem ganhando: os alunos cadastrados porque ficam sabendo das vagas e as empresas porque não precisam gastar com agências de recrutamento'', complementa a professora. Segundo ela, além de beneficiar as empresas, o projeto também agrega experiência profissional aos alunos. Os resultados têm sido tão positivos, comenta a professora, que futuramente ele deve ser ampliado.

Serviço -

Senai - Banco de Talentos
www.senailondrina.com.br/bancodetalentos
Unopar - Banco de Oportunidades
Informações 43 - 3371-7712

Banco de dados cria vínculo saudável

Fernando Werneck, gerente da Cadeia de Suprimentos da Sandoz, avalia positivamente a iniciativa do Banco de Oportunidades. Em sua opinião a ferramenta auxilia a comunicação com os alunos que aspiram uma oportunidade no mercado de trabalho, principalmente em início de carreira e agiliza o processo de contratação. ''A ferramenta cria um vínculo saudável entre a empresa que procura profissionais, o aluno e a comunidade em que está inserida. Hoje para fazer a captação de um recém-formado é a ferramenta mais viável'', avalia.

Ele conta que a empresa é adepta da ferramenta há algum tempo e tem colhido resultados satisfatórios.''Como os nossos estágios duram no máximo dois anos, é interessante contratarmos alunos que estejam no quinto semestre da faculdade'', especifica Werneck, acrescentando que se o estagiário tiver um bom desempenho, ele tem muita chance de preencher a vaga.

A gerente industrial Paula Gabarron, da Electroman Indústria e Comércio, que trabalha com manufatura de produtos eletroeletrônicos em Londrina, já utiliza os profissionais do Senai em sua empresa. ''Quase 50% dos nossos 82 funcionários são ex-alunos do Senai'', revela. Ela acredita que o Banco de Talentos trará um diferencial na hora de contratar. ''Normalmente, quando o profissional chega por meio de agências de emprego, o currículo traz uma série de habilidades, menos a técnica. O banco de talentos vai estar focado nos profissionais técnicos e isso para nós é muito importante, porque as outras habilidades poderão ser desenvolvidas posteriomente'', avalia. (K.A.)

No Senai, 95% dos alunos saem empregados

Cerca de 95% dos alunos que buscam se aperfeiçoar através de um curso profissionalizante saem empregados do Senai. Detalhe: a maioria é recrutada antes mesmo de concluir o curso. De acordo com Marcelo Strik, responsável pela área de Relação com o Mercado do Senai, todos os cursos da instituição possuem uma alta empregabilidade, porém a modalidade técnica, tem um destaque especial.''Essa modalidade é formatada de acordo com a demanda regional e trabalha com a prática que as indústrias precisam no seu dia a dia'', observa Strik.

Thalyta Davanzo Rodrigues, 19 anos, faz parte desse time de alunos. No andamento do curso técnico em instrumentação industrial ofertado pelo Senai, ela foi recrutada para ser estagiária numa empresa de automação industrial em Londrina e foi efetivada como auxiliar técnico.''Estou muito feliz, não imaginava que conseguiria um emprego tão fácil, principalmente para essa área que é mais restrita a homens'', relata.

Ela se preparava para cursar Direito, como não havia passado no primeiro vestibular queria algo que lhe trouxesse um retorno rápido.''Pesquisei quais seriam os cursos que dariam essa oportunidade, gostei da grade curricular do curso técnico em instrumentação industrial e com menos de um ano de curso consegui um estágio na Pid Brasil, empresa de automação industrial, onde fui efetivada. É meu primeiro emprego'', conta.

De olho no futuro, Thalyta se prepara para ingressar no curso de Engenharia de controle de processos e automação. ''É uma área muito boa, faltam muitos profissionais qualificados'', arremata.(K.A)